Alma-Ata 40 anos: avanços e obstáculos da saúde na atenção primária

Aconteceu no 21º CBCENF, a mesa redonda “40 anos de Alma Ata: lições para o fortalecimento da Enfermagem”, que discutiu o cenário brasileiro atual tendo em mente os itens pactuados na declaração da Alma-Ata, formulada durante a Conferência Internacional Sobre Cuidados Primários de Saúde na República do Cazaquistão em 1978.
A mesa foi coordenada pelo presidente do Coren Alagoas, Renné Cosmo da Costa, que contextualizou os desafios da Enfermagem na sua atuação na atenção primária para atingir os objetivos da declaração, que define saúde como um direito humano fundamental e que atingir o mais alto nível de saúde em todas as nações seria a mais importante meta social mundialmente. Para o professor e enfermeiro sanitarista, Francisco Rosemiro, é preciso promover a saúde e pensar no ser humano tratado. “Vocês levariam sua mãe ou seu filho para ser tratado onde trabalham?”, refletiu.
O coordenador da Comissão de Práticas Avançadas do Cofen, Carlos Leonardo Figueiredo, ressaltou o protagonismo dos enfermeiros na gestão em saúde e a luta que os mesmos enfrentam para combater as desigualdades geradas pelo estado não só na saúde, mas também na educação.

Outras notícias